Imprensa


21

fevereiro

Hard Rock Caldas Novas será lançado em junho

Vinculado em: imprensa

A marca norte-americana Hard Rock anunciou nesta semana sua entrada na América do Sul, a começar por Caldas Novas, com hotel resort, o primeiro no mundo com parque de águas termais. Ao POPULAR, os grupos RMEX e GD, responsáveis pelo empreendimento, adiantaram que a inauguração é estimada para 48 meses após o lançamento, que será feito em junho. O terreno, parte do antigo Country Club Caldas Novas, possui cerca de 30 mil metros quadrados. As obras ainda não começaram, o projeto está na fase de aprovação de licenças.

Serão 352 leitos com cerca de 38 m² e três suítes Rock Star de 170 m², que além do espaço físico diferenciado também terão serviços exclusivos, com direito a mordomo. O empreendimento incluirá dois restaurantes, boate, loja da marca, spa, área para crianças, piscinas, sauna e receberá eventos famosos da bandeira. Tudo com a temática “música” nas experiências oferecidas e que seguirão o padrão internacional. Além dessa unidade, também foram anunciados hotéis em Brasília (DF) e Itapema (SC), com 400 e 175 quartos respectivamente.

Em nota, o vice-presidente de desenvolvimento global de hotéis da Hard Rock International, Marco Roca, afirma que o Brasil como anfitrião da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 entrou oficialmente no palco mundial, com aumento do apelo para viajantes internacionais, “enquanto suas atrações naturais e culturais continuam a ser uma força para viagens domésticas”.

Águas quentes

No caso de Caldas, o diretor do RMEX, Ricardo Assunção, explica que foi elaborado projeto e conceito que provaram que o destino era viável pela vocação da cidade e atratividade cada vez maior de turistas, como nono destino das operadoras brasileiras. O empreendimento tem potencial, como pontua, para transformar a cidade das águas quentes na “Las Vegas goiana” por reforçar o apelo como destino internacional. O projeto foi aprovado em outubro pelos americanos, mas os grupos iniciaram as conversas sobre o hotel há quase três anos.

“Não existem dois hotéis da rede iguais no mundo”, acrescenta Andrey Machado, da Unyt Arquitetura de Resultados, responsável por desenvolver o projeto. Ele explica que a unidade goiana terá proposta estética própria para atender a visão dos investidores estrangeiros e do público brasileiro. A intenção é a imersão no mundo da música, do lobby às atividades de lazer. Também haverá espaços que não-hóspedes poderão frequentar, como um dos restaurantes, que terá chefe estrelado, Energy Bar (boate) e loja de souvenir da marca, além de eventos.

Outro atrativo do hotel serão as mobílias das áreas comuns, parte integra o museu itinerante da marca, com guitarras, peças de roupas e objetos de músicos famosos. Esses objetos são trocados todo ano e há possibilidade, por exemplo, de uma jaqueta do Michael Jackson ser exposta por lá, bem como um instrumento utilizado por Elvis Presley. Porém, os empresários goianos também já negociam peças de artistas brasileiros para compor a decoração.

Os grupos não revelam o valor investido no empreendimento milionário tão pouco o quanto deve custar para se hospedar por lá. O empreendimento deve gerar 1.120 empregos diretos. “Tínhamos o interesse de fazer algo diferente do que tinha em Caldas Novas, conhecemos um dos desenvolvedores de negócio da rede e apresentamos nosso desejo”, lembra o diretor da GD, Vanter Junior. As empresas que têm sede na cidade sofreram uma fusão e somam juntas 5 mil leitos, o que também influenciou na aprovação do projeto pela marca.

Fonte: Katherine Alexandria, Jornal O Popular, Economia, 21/02/2016 – Veja versão original aqui