Imprensa


15

abril

Arquiteto usa até videoclipe para atrair cliente do exterior

Vinculado em: imprensa

Andrey Machado é um entusiasta de soluções como o audiovisual e conseguiu apresentar um projeto que atraiu o interesse da rede hoteleira norte-americana Hard Rock para se instalar

Foto: Divulgação/ Helio Sperandio

Junto de sua atual equipe de profissionais, Andrey Machado (de pé à direita), fundador da Unyt, conquistou projeto do Hard Rock Hotel

São Paulo – Responsável por conceber e apresentar um projeto que atraiu o interesse da rede hoteleira norte-americana Hard Rock para se instalar no Brasil, o arquiteto goiano Andrey Machado é um entusiasta de soluções como o audiovisual, além de apostar no 4D como o futuro na área de projetos.

Sócio-fundador da empresa Unyt Arquitetura de Resultados, com sede em Goiânia (GO), o empresário já tem em seu portfólio projetos arquitetônicos e urbanísticos em 12 estados brasileiros e no Distrito Federal, contabilizando 6 milhões de metros quadrados projetados – entre eles o Hard Rock Hotel Caldas Novas.

Ao atender clientes como os grupos RMEX e o Grupo Golden Dolphin, Machado ajudou a atrair o interesse da bandeira de turismo para o País, com a futura construção de resorts, sendo o de Caldas Novas em um terreno de quase 18 mil m². “A meta dos empresários é transformar a cidade das águas quentes na “Las Vegas goiana” com a chegada do empreendimento”, brinca o empresário.

Machado conta que sua empresa ganhou destaque no mercado por conta do pioneirismo na apresentação de projetos aos clientes, sendo um dos diferenciais a preocupação com soluções modernas e com estudos aprofundados para finalizar no que realmente o cliente busca.

 

Considerações

 

“No caso do Hard Rock, nós fomos convidados para ir a Orlando (EUA) e apresentar o projeto, que foi desenvolvido em formato de videoclipe, sem papel, sem lâminas. Lá eles fizeram considerações principalmente sobre segurança e tecnologia. Após fazer as revisões, a novidade foi apresentada ao mercado brasileiro há dois meses.” Com o lançamento previsto para junho, são estimados 48 meses para que o empreendimento fique pronto.

De acordo com o arquiteto, apesar da crise econômica atual, o Brasil tem muitas oportunidades e a empresa aposta em diferenciais como trabalhar sempre em todas as etapas de um projeto: desde a prospecção e viabilização de compra de terreno, passando pela concepção de produtos, licenciamento junto aos órgãos públicos, até a análise pós-ocupação. “Agregando valor, inovação e qualidade de vida aos produtos oferecidos.”

 

Trajetória

 

A aptidão pelo traço como ganha pão veio desde criança, ao demonstrar interesse por desenhar. “No segundo grau me deparei com a necessidade de decidir a profissão. Fiquei entre engenharia e arquitetura, mas sempre tive mais as ver com o processo de criação, como a busca do entendimento por produzir algo do abstrato, no traduzir fisicamente as necessidades de outras pessoas.”

Ao acreditar que isso tenha mais a ver com a área de humanas, com o entendimento social e com a relação do espaço dos ambientes, ele decidiu pela arquitetura quando aliou tudo ao gosto pela informação gráfica. O começo da carreira veio naturalmente através de estágios, que ele considera extremamente importantes para orientar os próximos passos do profissional e indicar o perfil de cada um. “Passei por três escritórios de arquitetura de porte médio antes de abrir a minha empresa, onde tive a certeza de que ter contato com questões como relacionamento com o cliente, conhecimento de marca foram importantes para o know-how adquirido.”

De estagiário a arquiteto formado, ele conta que seu primeiro projeto assinado foi o Sesi de Aparecida de Goiânia. “Foi meu primeiro trabalho depois de formado, em um escritório de dois arquitetos sócios chamado Arantes e Peña Arquitetos, e foi um grande desafio para mim como parte de uma equipe. O escritório tinha uma entrada muito boa para fechar negócios com instituições das entidades do sistema S [Sesi, Sesc, Senac e Senai]. Foi um grande aprendizado profissional”, diz.

Na sua empresa a evolução foi diferente. No começo era ele e uma estagiária. Na época, Goiânia estava começando a perceber a relevância dos condomínios fechados e esse tipo de projeto chamou a atenção. “Tínhamos boa entrada de casas familiares e o escritório começou a crescer.”

A decisão por fazer pós-graduação na Universidade de Brasília (UNB) veio com a necessidade de se aperfeiçoar. Foi quando chamou um colega para se tornar sócio, ocasião também em que a demanda por serviços para concessionárias automotivas surpreendeu. Se tornaram clientes 17 marcas, com atendimento que saltou o estado de Goiás, chegando ao Distrito Federal, Triângulo Mineiro, Bahia, Tocantins, Mato Grosso e interior paulista. “Foi também quando entramos no mercado de Brasília, com o surgimento de Águas Claras, um bairro novo, com a Vega Construtora.”

Com faturamento estimado em R$ 2,5 milhões, o escritório tem uma equipe de 17 pessoas e o ramo de hotelaria é um dos que mais cresce na companhia. Para Andrey Machado, a experiência e a aproximação com os envolvidos nos projetos faz a diferença. “Antes de apresentar o projeto do hotel Hard Rock tive de ser hóspede para sentir de perto essa experiência.” Em Caldas Novas, o empreendimento terá 355 apartamentos e atmosfera de música em todas as áreas.

Por Camila Abud do DCI – Diário Comércio, Indústria e Serviços